Ordem Rosacruz
Uma Antiga Sabedoria para um Mundo Novo

A Natureza da Oração

Ordem Rosacruz

3.049

A oração conforme praticada pelo místico, não é só a que mais produz resultados, mas também é o método mais lógico. O místico assevera que todas as coisas são possíveis dentro da Divina Consciência de Deus, exceto aquilo que contraditaria a própria natureza da Divindade. Portanto, um pedido, ou petição negativa, permanece inoperante. Não se deve esperar encontrar, por exemplo, trevas na luz, pois onde há luz não pode haver trevas. Assim, o místico não pede o impossível em suas orações. Um místico jamais pede que se ignore uma Lei Cósmica ou Natural que possa ter invocado por seus próprios atos, seja devido à maldade ou à ignorância. Ele sabe firmemente da existência da lei de causa e efeito. Compreende que pedir que uma lei por ele próprio invocada seja aliviada em seu favor, seria pedir o impossível.

Um místico não pede que lhe sejam conferidas bênçãos especiais. Sabe que no plano cósmico não existem pessoas preferidas. O místico não pede uma coisa completa, acabada, mas sim a iluminação pela qual ela possa ser materializada através de seus esforços; ou, se seu desejo por uma determinada coisa não for correto, pede que o desejo seja eliminado. Conhecendo a limitação de seu próprio eu objetivo, o místico pede que, se não for possível mostrar-lhe como satisfazer uma necessidade, que se lhe mostre como se livrar do falso desejo que o fez considerar a coisa em questão necessária. Assim, o místico prova que não insiste na infalibilidade dos seus propósitos. Indica também que não deseja causar injustiça a ninguém pelos desejos manifestados ao pedir algo que não deveria solicitar. Em outras palavras, muitas das coisas com as quais nos atormentamos e consideramos tão essenciais ao nosso bem-estar são assim consideradas porque não foram analisadas à luz do seu aspecto mais amplo, isto é, em sua relação com todo o Plano Cósmico.

O místico, ao suplicar ao Cósmico, volta sua consciência para dentro, em lugar de dirigir seu apelo a uma entidade ou poder externo distante. O místico percebe que o Cósmico está nele. Não está apenas nas vastidões do espaço. Sabe, além disso, que sua alma responderá à sua súplica. A sua alma é parte da Alma Cósmica e o guiará para a auto-ação. Para o místico, a oração é, na realidade, uma consulta entre os dois eus do homem. É um apelo da mente mortal exterior, ou objetiva, à mente imortal do eu interior. O místico sabe que a resposta a uma oração é, realmente, um vislumbre da Sabedoria Divina através da harmonização correta. Portanto, o místico pode avaliar seus desejos adequadamente e é capaz de agir à luz do que é Cosmicamente certo e possível.

Como o místico sabe que não deve pedir algo que não virá, em função de contrariar as Leis Cósmicas, não se decepciona como o devoto comum com suas orações não satisfeitas. A tranquilidade do místico nesse ponto é dada por saber que sua petição é desnecessária, por ter sido esclarecido pelo Cósmico por meio de uma intuição ou certeza interior. A oração, portanto, é sempre satisfatória para o místico. Também psicologicamente a oração é satisfatória para qualquer homem, se praticada misticamente. A oração requer humildade, submissão ao lado melhor de nossa natureza. E nos põe em harmonia com os impulsos mais sutis do nosso ser.

As orações são normalmente de três tipos. Existem as orações de confissão, quando um homem mostra ao Deus do seu coração que está contrito e admite ter violado os ideais morais. Há as orações de intercessão, nas quais o homem pede para ser orientado para qualquer assunto. Há, ainda, as orações de gratidão, como as dos Salmos cristãos, onde o homem saúda a majestade do Divino e expressa alegria por conhecer sua própria natureza Divina. Desses três tipos de oração, é a última, de gratidão, que o místico se entrega com mais freqüência. Assim fazendo, ele evita a necessidade das outras duas, pois se reconhecemos o Divino e comungamos periodicamente com o Eu Interior, que a Ele pertence, adquirimos tal domínio pessoal do nosso próprio ser, que as orações de confissão e intercessão se fazem desnecessárias.

O que se segue é um exemplo de oração que reúne todos os elementos místicos que enumeramos anteriormente:

Possa a essência Divina do Cósmico lavar-me de toda as impurezas da mente e do corpo, para que eu possa comungar com o Sanctum Celestial. Possa minha consciência mortal ser de tal forma iluminada, que quaisquer imperfeições do meu pensamento me possam ser reveladas , e possa eu receber o poder da vontade para corrigi-las. Humildemente suplico que possa perceber a plenitude da Natureza e dela participar, sempre de acordo com o Bem Cósmico. Assim Seja!