Ordem Rosacruz
Uma Antiga Sabedoria para um Mundo Novo

A questão financeira em nossa vida diária

Ordem Rosacruz

5.968

O primeiro Imperator da AMORC para o atual ciclo, Frater H. Spencer Lewis, escreveu o livro “Princípios Rosacruzes para o Lar e os Negócios”. Nesse livro esclarecedor, o Dr. Lewis afirmou claramente que todo homem ou mulher tem o direito de ter sucesso na vida, encontrar a felicidade, gozar de boa saúde. Entretanto, a busca dessas coisas deve estar em conjunção com o que é moral, ético e cosmicamente aprovado. O Dr. Lewis indicou, além disso, que os deveres mundanos são obrigatórios para todos. Os Rosacruzes aprendem a dominar essas obrigações e tornar suas vidas terrenas um sucesso.

Isso pode ser interpretado assim: só podemos dar aquilo que fomos capazes de obter através de nossa compreensão perceptual e conceptual individual. Não podemos dar o que não temos… Também não podemos aplicar a sabedoria aos conhecimentos se não adquirimos conhecimento. Podemos pedir ao Cósmico que nos dê sabedoria durante quarenta dias e quarenta noites, mas nenhuma sabedoria aparecerá se não fizermos nada para assimilarmos informações. Então, e só então, adquiriremos conhecimento.

O dinheiro é uma energia positiva, desde que a sabedoria seja a base do conhecimento para sua aquisição e utilização. Se existe energia negativa causada pela falta de pureza seja no conhecimento ou aquisição, subjacente ao dinheiro, se a sabedoria não estiver presente, então podemos criar e criamos mais problemas do que podemos resolver.

Ter problemas financeiros não significa irresponsabilidade. As pessoas que têm dificuldades financeiras sentem-se ansiosas e preocupadas com suas transações com outras pessoas – ao contrário do gastador compulsivo que deve a todo mundo e não parece sentir constrangimento, preocupação ou ansiedade a respeito disso. Para mitigar a ansiedade relativa a este problema, é importante que a pessoa renove sua apreciação do próprio valor, aquele valor do Eu que independe de dívidas, riqueza ou desempenho. Santo Agostinho disse algo encorajador: “Deus ama cada um de nós como se fossemos únicos.”

Nos Ensinamentos Rosacruzes apreende-se a reconhecer a abundância do Cósmico e o fato de que nossas dificuldades provêm de nos mantermos afastados dessa fonte. Para podermos gozar dessa abundância, devemos nos organizar aqui e agora.

Um bom meio é colocar no papel um plano realista para cada mês, com as entradas e saídas costumeiras de dinheiro e diariamente renovar o compromisso de seguir o plano feito. Se uma despesa inesperada e inevitável ocorrer, modificando o plano, não o abandone: faça a melhor adaptação que puder e continue a segui-lo. Proceder desta forma, mês após mês, nos ajuda a organizar as prioridades quanto ao que é mais importante e mais valorizado por nós. Seguir um plano nos ajuda a sentir que estamos caminhando na direção certa, que temos o controle da situação e estamos fazendo o melhor possível.

É muito difícil estabelecer prioridades claras, diante da barragem de publicidade de vendas, dirigida não só a nós, mas também aos nossos dependentes. Vivemos cercados por uma filosofia do “consumismo”, a qual nos diz que devemos gastar mais para manter saudável a economia do país e que devemos descartar coisas que já temos e substituí-las por outras novas. Para contrabalançar esta filosofia podemos dar atenção a um antigo ditado da Nova Inglaterra que diz mais ou menos o seguinte: “Use até terminar, use até gastar, adapte para que sirva ou passe sem”. A vida, entretanto, oferece abundância e não está presa a tais extremos.

Ao mesmo tempo em que pensamos em economia, pedimos a ajuda e orientação do Cósmico para alcançarmos o nosso conceito de fartura e até mesmo de superávit, de sobra. O estranho a respeito de sobras, de excedentes, é que têm que ser reconhecidos como tal. Se o que temos não é visto como supérfluo ou excedente, não existe o supérfluo, não importa o quanto tenhamos. No filme “Eu me Lembro de Mamãe” as crianças de uma família pobre são informadas pelos pais que a família tem uma conta bancária, mas que esta não deve ser utilizada para saques. Isto era uma história inventada pelos pais para que os filhos crescessem com a ideia de que havia algum dinheiro de sobra, e não passassem pelo desespero da pobreza extrema. Funcionou! A ideia do excedente é, verdadeiramente, um aliado poderoso de nosso bem-estar emocional e financeiro.

Mas como desenvolver este sentimento de que temos um excedente, para não falar de possui-lo efetivamente? Para ponderar, consideremos este estranho fato: o dinheiro é apenas um meio de suprir temporariamente o nosso excedente, seja ele em forma de dinheiro vivo, poupança, conta corrente etc. Outro meio útil seria o seguinte: assim que seja viável, do ponto de vista prático, destine uma quantia em dinheiro, por pequena que seja, em seu plano financeiro mensal, para formar o seu excedente, a sua “sobra”. Em vez de fazer constar do seu orçamento todo o seu rendimento mensal, até o último centavo, incluindo quantias destinadas a férias, caderneta de poupança, aposentadoria etc., simplesmente considere todas estas coisas com excedente. Com o tempo, você poderá pensar em destinar para outros fins parte do excedente acumulado.

Como exercício para uso diário, recomendamos as invocações que damos a seguir, ou, se preferirem, criem uma invocação pessoal semelhante à sugerida. Ao se levantar pela manhã, e antes de qualquer acontecimento significativo ou importante durante o dia, repitam com confiança e convicção interior as afirmações que damos a seguir, ou as que melhor se adaptem a cada dia. Estas afirmações positivas podem ser proferidas mentalmente, caso desejem.

“A Luz Divina está em meu interior.”

“Todo o dia eu serei guiado por minha Luz Interior.”

“Irradiarei amor e harmonia a todas as pessoas neste dia.”

“Meus sinceros e nobres anseios serão alcançados.”

“A saúde, a felicidade a prosperidade são minha herança hoje e todos os dias.”

“Procurarei sempre irradiar o melhor de meus pensamentos.”

“Eliminarei de minha consciência todos os pensamentos negativos.”

“A paz, a harmonia e o amor serão meus para sempre.”

“Deus do meu coração, que eu possa ser grato por Tuas inúmeras bênçãos, pela Tua Luz, Vida e Amor que tenho recebido. Que meus esforços místicos sejam sempre inspirados, e que eu me torne consciente de Tua presença e orientação Divina neste dia. Santifica meu coração e minha mente para que eu possa refletir, sempre, Teu Amor e Tua Divina sabedoria.”

“Assim Seja!”

Conheça a biblioteca rosacruz e vivencie emoções diferentes através da leitura!

Clique aqui