HISTORIA DO ROSACRUCIANISMO

A Antiga e Mística Ordem Rosae Crucis, AMORC, é uma organização internacional de caráter místico-filosófico, não sectária e sem fins lucrativos, que reúne fraternalmente homens, mulheres, jovens e crianças no mesmo ideal: o aperfeiçoamento intelectual, psíquico e espiritual. Tradicionalmente é considerada a mais antiga fraternidade do mundo, sendo o prolongamento da Fraternidade criada pelo Faraó Tutmés III em 1503 a. C. e que se destinava a estudar, experimentar e praticar os mais altos princípios da natureza, do homem e do universo, em contraste com as crenças supersticiosas que estavam difundidas entre o povo da época. A Escola de Faraó
Tutmés III se aperfeiçoou sob a gestão de seu neto, o Faraó Akhenaton (1353 a.C.) considerado o primeiro Grande Mestre tradicional da Ordem Rosacruz, por ter aperfeiçoado seu sistema de leis, princípios filosóficos e ritualísticos. É a partir da data geral do reinado deste Faraó que se conta o Ano Rosacruz. A Ordem Rosacruz está, portanto, no Ano 3369, sempre comemorado em Março.

É relevante destacar que Akhenaton é considerado pelos historiadores modernos como a “primeira personalidade da história”, por ter sido o primeiro ser humano a pregar a existência de um só Deus no Universo, em contraste ao politeísmo da época. É reconhecido, portanto, como o fundador do Monoteísmo. Este Faraó também revolucionou a cultura, a ciência e as artes do Egito durante seu reinado.

Desde Akhenaton a Ordem Rosacruz se desenvolveu, expandindo-se para a Ásia e e Europa. O nome “Rosacruz” só veio mais tarde, no século XVI. A Ordem sempre perpetuou sua herança, aperfeiçoando-a conforme as pesquisas realizadas, em todos os campos, pelos seus membros, dentre eles pessoas eminentes como Leonardo Da Vinci, Paracelso, Francis Bacon, Jacob Boehme, René Descartes, Baruch Spinoza, Gottfried von Leibniz, Isaac Newton, Benjamin Franklin, Thomas Jefferson, Erik Satie etc.

Em 1915 a Organização foi reativada na América do Norte, a partir da França, adotando o nome de AMORC (Antiga e Mística Ordem Rosae Crucis), que é uma abreviatura do nome antigo e em latim da organização: Antiquus Arcanus Ordo Rosae Rubeae et Aureae Crucis (Antiga e Arcana Ordem da Rosa Rubra e da Cruz Dourada).

O revitalizador da Ordem nos EUA foi o jornalista, publicitário, filósofo, cientista, artista plástico e humanitário Harvey Spencer Lewis. A partir de sua gestão, a Ordem se desenvolveu de forma unificada, atingindo sua dimensão atual. Atualmente, a AMORC se estende pelo mundo todo, com cerca de 200.000 rosacruzes ativos. Sendo uma Organização não-sectária, apolítica e sem fins lucrativos, humanitária e global, em seu quadro de estudantes encontram-se pessoas de praticamente todas as raças, culturas, religiões, linhas filosóficas, idades e de ambos os sexos, trabalhando de forma livre em prol de um mundo mais pacífico e melhor. Na Ordem encontram-se, inclusive, clérigos, como padres, rabinos, monges e pastores, e até mesmo agnósticos. A Ordem forma livres pensadores.

A Ordem Rosacruz também pode ser considerada a primeira Fraternidade a considerar a mulher em plena igualdade com os homens, pois desde seu surgimento o sexo feminino gozou de todos os privilégios, incluindo o de cargos, iguais aos do sexo masculino. Aliás, a primeira Grande Mestre da AMORC para o Brasil foi a Soror (Irmã) Maria A. Moura. Graças à sua dinâmica gestão, a Ordem desabrochou no Brasil.

A Ordem possui milhares de Organismo afiliados espalhados pelo orbe, geridos por 13 Grandes Lojas e sete Administrações regionais. Cada Grande Loja e Administração regional é controlada por um Grande Mestre, congregando estudantes de uma mesma língua e se responsabilizando pela difusão dos ensinamentos rosacruzes em determinada parte do globo. O presidente mundial da AMORC, conhecido pelo título tradicional de Imperator, é o francês Christian Bernard.

A Ordem também mantém uma universidade interna, a Universidade Rose-Croix Internacional, formada por rosacruzes com nível de mestrado, doutorado e pós-doutorado, que efetuam pesquisas em diversos ramos do saber humano, como Filosofia, Física, Geologia, Astronomia, Psicologia etc. aproximando o saber rosacruz das mais relevantes descobertas da ciência. Tais pesquisas mantêm a Ordem atualizada e mesmo na vanguarda do conhecimento humano. De especial preocupação para a Ordem Rosacruz é a juventude. Para tanto, instituiu já no início do século XX, nos EUA, a Ordem Rosacruz Juvenil, ORCJ. Destinada a crianças e jovens, promove no mais alto grau o despertar do potencial interior, através da instrução e da experiência vivenciada, desenvolvendo nos pequenos uma visão mais abrangente de si mesmos, do mundo e da vida.

A AMORC foi também pioneira na estruturação de um sistema de ensino à distância, operando com ele a partir dos primeiros decênios do século XX, o que se mantém até hoje. Os estudantes da Ordem recebem Monografias mensais com os assuntos tratados nos ensinamentos. Entre estes, constam: filosofia, psicologia, ontologia, concentração, meditação, visualização, relaxamento, cura, leis da matéria, da vida e do universo etc. É importante destacar que todos esses assuntos têm uma dimensão prática, ou seja, é oferecida uma forma do estudante comprovar a realidade do que a Ordem afirma, por meio de experiências práticas.

O símbolo da Ordem, uma cruz dourada com uma única rosa semidesabrochada no centro; não tem caráter religioso, mas filosófico, visto que a cruz é um símbolo ancestral da humanidade constante em toda as culturas, sob diversas formas. A Cruz Rosacruz tem um significado filosófico e psicológico e representa: a cruz, o corpo físico e o plano material, onde se processa a evolução da consciência do homem; esta evolução gradativa da mente é simbolizada pela rosa desabrochando no centro da cruz, no centro da experiência humana.

A AMORC difunde, enfim, a Sabedoria esotérica da humanidade. Esse Conhecimento Especial esteve sob estrita proteção no passado, devido à intolerância política e religiosa. Felizmente, devido à abertura das consciências e maior tolerância pela diferença, desde o início do século XX essa Sabedoria é dispensada livremente, em caráter discreto, não secreto, aos seus afiliados.

A AMORC chegou no Brasil em maio de 1956, tendo como primeiro Grande Mestre a já citada Maria A. Moura. Em novembro de 1990, sob a gestão do Grande Mestre Charles Vega Parucker, e por decisão da Suprema Grande Loja, presidida pelo já citado Christian Bernard, esta Grande Loja tornou-se Grande Loja para os Países de Língua Portuguesa, GLP. Atualmente a GLP é dirigida pelo Grande Mestre Hélio de Moraes e Marques.

A sede da Ordem Rosacruz de Língua Portuguesa está, desde 1960, em Curitiba, Paraná, Brasil, compreendendo Rosacruzes do Brasil, Portugal e Angola. A Ordem possuí 280 Organismos Afiliados em todos os estados do país, contando ainda com duas sedes em Portugal e uma em Angola. Esta Grande Loja conta com um numero ativo flutuante de 20.000 membros.

A Grande Loja para os Países de Língua Portuguesa da AMORC é reconhecida como de Utilidade Pública Municipal, Lei 3.045 de 21 de setembro de 1967; Estadual, Lei 5812 de 19 de julho de 1968; e Federal, por meio do Decreto de 28 de fevereiro de 1999, assinado pelo então Exmo. Sr. Presidente da República, Fernando Henrique Cardoso. A Ordem é ainda registrada no Conselho Nacional de Assistência Social – CNAS, 28 de novembro de 1995.

Muitos dos Organismos Afiliados da Grande Loja são reconhecidos como de Utilidade Pública Municipal.

A AMORC vem contribuindo consideravelmente para a cultura e o enlevo da sociedade. No Brasil, isso se dá pelas estruturas mantidas pela Grande Loja de Língua Portuguesa, através de seu Centro Cultural, que comporta Museu, Biblioteca, Auditório, Salas de Conferência e Espaço de Arte, que recebem milhares de turistas e estudantes todos os anos. Colabora a Ordem para a cultura também por meio das atividades locais de seus Organismos Afiliados, realizadas durante o ano todo. Tanto a sede como as afiliadas dispensam continuamente campanhas culturais, sociais e filantrópicas em todo o território nacional, bem como em Portugal e Angola.

A Ordem Rosacruz tem incansavelmente trabalhado pelo desenvolvimento integral do ser humano, possibilitando uma vida de mais paz, amor e solidariedade a milhares. Por reflexo, tem transformado a sociedade por meio de seus membros, que, onde quer que estejam, e quem quer que sejam, convertem-se em focos irradiadores de bondade, benemerência, cultura e espiritualidade.

A Missão da AMORC está assim definida na língua portuguesa:

A Ordem Rosacruz, AMORC é uma organização internacional de caráter místico-filosófico, que tem por missão despertar o potencial interior do ser humano, auxiliando-o em seu desenvolvimento, em espírito de fraternidade, respeitando a liberdade individual, dentro da Tradição e da Cultura Rosacruz.”