Materialismo como um Objetivo Supremo

    Fonte: Rosicrucian Forum da Austrália – 2017. N°1 – 73

    494

    A seguinte pergunta foi feita recentemente: Quanta ênfase um “Estudante na Senda” deve colocar no materialismo, uma vez que a tendência hoje é equiparar sucesso com posses materiais?

    Por vários anos a sociedade tem feito da obtenção de riqueza e poder seu objetivo supremo. Muitos livros foram escritos sobre como alcançar essas duas metas. A maioria desses livros se concentra no poder das afirmações para se obter algo desejado. No entanto, esses livros falharam ao deixar de mencionar ou enfatizar a necessidade de se aderir à ética, no desejo de usufruir do sucesso por um período significativo.

    Mas a obtenção de riqueza ou poder temporal é tão importante que deve se tornar o objetivo supremo da humanidade? Embora seja verdade que uma certa quantia de dinheiro seja necessária para uma pessoa sobreviver na nossa sociedade atual,  na qual o dinheiro é o principal meio de troca, essa busca não deve se submeter ao ponto em que ofusca as verdadeiras virtudes que devem ser cultivadas se você deseja vivenciar a sua quota de felicidade neste plano terreno. O amor ao dinheiro ou poder pode se tornar facilmente uma doença no nosso crescente desejo de termos mais e mais de um deles, ou de ambos.

    Os estudantes da Ordem Rosacruz são de fato agraciados por lhes ser ensinado os princípios místicos que se aplicam à realização de qualquer anseio ou desejo que possam ter. Primeiro nos é dito que o motivo por trás de nosso desenho é o fator principal para o seu sucesso. O nosso motivo é puro, honesto, altruísta? Ou é obscuro, desonesto e egoísta? Depois, estamos nos esforçando para realizá-lo ou ficamos simplesmente parados, esperando que o Cósmico assuma e faça todo o trabalho para nós?

    Qualquer pessoa de bom senso percebe que é preciso trabalhar em direção ao seu sonho e perseverar, mesmo que, a princípio, possa fracassar. A ação e o pensamento positivo irão colocar as coisas em movimento e, em algum momento, terá um desfecho construtivo e exitoso. Então, enquanto estivermos trabalhando em direção ao nosso objetivo, precisamos aderir à um código de ética rigoroso e aceitável.    Devemos sempre manter o coração puro, e nunca recorrer a meios inaceitáveis como a hipocrisia, a intriga, o apunhalar pelas costas, o envenenamento mental e etc. para alcançarmos o nosso objetivo. Apenas sobre a base da ética o sucesso verdadeiro e duradouro pode se estabelecer.

    Cedo ou tarde chegamos ao ponto de nossa evolução no qual percebemos que o sucesso material não é um pré-requisito para a felicidade, embora, como mencionado anteriormente, precisamos ter os meios necessários suficientes a nossa disposição para sobreviver neste plano mundano. Nós nos tornamos conscientes de que o maior sucesso que podemos alcançar consiste no domínio de si mesmo, ao qual a Ordem devota exclusivamente seus ensinamentos. Assim, gradualmente nos tornamos menos preocupados com coisas materiais e aspiramos fortemente a conquista espiritual.

    Diferente do sucesso material, tal conquista não é de natureza temporária, mas é duradoura e se fortalece cada vez que a personalidade-alma conquista uma vitória sobre os aspectos mais inferiores do ser. O poder interior adquirido é real e não pode ser retirado. Na verdade, ele aumenta à medida em que cada novo teste é superado.   Isso sim constitui o verdadeiro poder e sucesso, e não o ganho material instável e transitório do homem. Portanto, o místico geralmente é indiferente à aclamação mundana. Seu principal objetivo é ganhar a aclamação espiritual das hostes cósmicas. Isso e apenas isso importa para ele, uma vez que é isso que determina sua evolução.