Uma Antiga Sabedoria para um Mundo Novo

O Sol dos Rosacruzes

Por JOSÉ LIMA JÚNIOR, FRC

955

Aqueles que se afiliarem a Ordem Rosacruz estarão se unindo a uma Ordem Iniciática, que perpetua a tradição dos Mestres e da Grande Fraternidade Branca. Dessa maneira, é natural que se sucedam experiências místicas, ao longo de suas práticas e estudos rosacruzes. Uma dessas experiências é a Iniciação Psíquica.

Note-se inicialmente que não é o corpo físico que é Iniciado, mas sim o corpo psíquico, razão pela qual no Ocidente, essa Iniciação se dará naquilo que para o Estudante é um sonho. O Eu Objetivo, em sua eterna luta para manifestar em sua plenitude o Eu Interior, também se beneficia da Iniciação, através do conhecimento e da energia recebidos naquele ato.

Excepcionalmente a presença do Mestre se fará sentir à consciência de vigília do Estudante, mas isto não é necessário ao ato de Iniciar. Essa presença, não do Mestre, mas de seu nível vibratório, se faz sentir antes nas harmonizações e muitas vezes em sensações ao tato, que serão sentidas nas palmas das mãos.

Fato notável na Iniciação Psíquica é a presença de Luz. É uma Luz indescritível, mais clara que o Sol do meio-dia, mesmo em nosso país tropical. Essa Luz foi chamada de “O Sol da Meia-Noite” ou “O Sol dos Iniciados”; para mim, com justiça, ela pode ser chamada de “O Sol dos Rosacruzes”. Essa Luz tem um comportamento similar em todas as Iniciações. Inicialmente ela preenche todo o cenário. Depois ela se condensa, diminui, transforma-se em círculo e envolve o Estudante.

Normalmente ela se transforma em pássaro, ou seja, um pássaro pousa sobre o Estudante, então Iniciado. Conforme a tradição será a descrição do pássaro, assim, para os cristãos, será a pomba; para outros, a águia.
Alguns ensinamentos transmitidos podem superar o nível evolutivo do Eu Objetivo, dizendo respeito apenas ao Eu Interior; assim o Pássaro poderá dizer palavras que não serão ouvidas pelo Estudante, antes de anunciar a vinda do Mestre.

Resta o clímax da Iniciação, que é a presença do Mestre, que dá o Novo Nome e a Bênção. O nível do Mestre e da Bênção dependerá do nível Iniciático a ser alcançado naquela ocasião. Desta maneira há mais de uma Iniciação Psíquica a ser alcançada, antes de se atingir a Maestria ou o Grau de Rosacruz. Ressalto que a presença do Mestre é essencial para reconhecer-se uma Iniciação.

Sabemos que a evolução não termina com a Maestria, ao contrário, a evolução do nível humano é que termina aí; assim, se a Iniciação for ainda mais elevada, aquele que a preside também o será, até que, em nosso Planeta, será o Mestre da Grande Fraternidade Branca o Iniciador. Quando o Mestre da Grande Fraternidade Branca não preside a Iniciação, a presença da Estrela ou da Luz, é tida por sinal de sua aquiescência.

O Cristo foi Iniciado publicamente, quando do Batismo por João no rio Jordão. Aqueles que relerem o Evangelho de Mateus, Capítulo 3, versos 13-17, encontrarão na Iniciação ali descrita todos os detalhes anotados acima. Resta saber quem foi o Iniciador do Cristo. Para mim foi o próprio Logos Solar, pois aceito a teoria de que cada estrela é, em si mesma, e em função de seu Logos, um berçário de vida. Por este motivo a bênção de Lucas “Tu és o meu Filho, eu, hoje, te gerei!” é diferente da de Mateus “Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo” (Lucas 3, 21-22 e Mateus 3, 16–17. Bíblia de Jerusalém. São Paulo: Paulus, 2002).

Tenhamos em mente que há vários níveis de Iniciação. O Estudante, mesmo sendo Iniciado, ainda não será um Mestre, pois haverá várias etapas a serem cumpridas ainda até a Maestria.

Finalizando, não nos esqueçamos das palavras do Mestre:

“Aqueles que estiverem preparados, verão o nosso Sol”.