A Senda da Maestria

    H. Spencer Lewis, F.R.C.

    649

    Existe apenas uma estrada, um caminho, pelo qual se alcança o Autodomínio e o Domínio do Destino: o estudo correto e sistemático das leis da natureza, as leis que governam o universo, o homem, e afetam a relação do homem para com tudo o que existe.

    Conhecer a verdadeira relação do homem para com o universo e outros homens, conhecer seus ilimitados poderes, capacidades latentes e fortaleza acumulada da mente e da alma, é fazer de cada homem um poder para um bem criativo, construtivo e maior; um sucesso no mundo, um crédito ao mundo, uma parte real do mundo.

    Dominar os poderes, as capacidades e as poderosas energias pessoais, trabalhando em harmonia com todas as leis da natureza, harmonizando-se com a mente divina e mantendo uma atitude de paz e amor radiante, significa dominar o DESTINO e conquistar as forças conflitantes que provêm das trevas e da ignorância.

    Mais importante que ver com os olhos mortais é ver com os olhos da intuição. Mais importante que ouvir com os ouvidos mortais é ouvir a voz do Eu interior e a voz dos incontáveis seres superiores que falam em silêncio. No mundo da criação e realização, muito mais imperiosa que a voz ditatorial e os lábios eruditos é a influência silente de uma vontade dominadora.

    O domínio intelectual do conhecimento mundano satisfaz somente o domínio dos problemas materiais, deixando a cada homem esforçar-se por manter aquilo que recentemente adquiriu. A natureza não toma qualquer conhecimento dos conflitos materiais, e majestosamente se inclina para auxiliar aqueles que compreendem seus desígnios e que com ela cooperam na construção universal, na criação benevolente e no progresso humano.

    O homem elaborou para si mesmo e seus filhos escolas de ilusões e efeitos. Ele diverte-se por sua instrução sobre os fenômenos da natureza, e é jubilosamente ignorante das causas fundamentais – mesmo as de sua própria existência e o significado da vida.

    Escolas e ramos da ciência lutam umas contra as outras na proposição de teorias, na explicação de observações e para promulgar hipóteses quiméricas, como se fossem autoridades incontestáveis. Livros sobre as várias fases da manifestação da natureza são escritos apenas para tornarem-se obsoletos, indefensáveis, e para serem rejeitados antes mesmo do término da impressão.

    Crianças nascem, são criadas e instruídas numa compreensão errônea das leis mais úteis da natureza e em absoluta ignorância quanto aos poderes e capacidades que residem na alma e na mente do Eu real, o Eu interior.

    As crianças chegam à maturidade e, como pessoas adultas, bem sucedidas ou fracassadas, são incapazes de utilizar as forças que converteriam suas trilhas nas autoestradas da verdadeira missão da vida, e não podem combater as forças destrutivas da doença, do desapontamento, da infelicidade ou depressão.

    A era de realizações mais elevadas através de objetivos mais nobres e poderes superiores faz-se presente. Chamem-na Era de Aquário, Era Metafísica, Era do Despertar ou a Nova Era. A prevenção de doenças é a nota fundamental de toda a pesquisa terapêutica e, de igual modo, a prevenção de fracassos na vida, a prevenção de sofrimentos, a prevenção do pecado através de uma verdadeira compreensão das leis de Deus e da salvação do homem, são os princípios e leis que constituem as GRANDES VERDADES que agora são sentidas por todos e ensinadas àqueles que procuram a Luz. O homem deverá entrar no Reino da Luz e emergir do feudalismo das trevas. Ele deverá ser o Senhor do seu Destino, o Mestre de sua individualidade, o Capitão de sua Alma. Deus assim ordenou no princípio de tudo, quando criou o homem à sua Imagem e semelhança – à Sua imagem espiritual Ele criou o homem. A verdadeira queda do homem não passou de uma bondade essencial, mas da montanha da compreensão ao vale da superstição e ignorância.

    Encontramos a superstição alimentada de todos os lados pelos glutões do lucro material e a hierarquia do comercialismo. As forças do mal, vigorosas no passado, ainda se arrastam às escondidas, sempre prontas a emboscar o homem em sua incapacidade de lutar contra a astúcia do mundo.

    A verdade deve ser proferida sem intenções preconcebidas ou concepções parciais. As leis de Deus não possuem credo, sendo manifestações da natureza a todos igualmente. O sectarismo, a idolatria pessoal, as limitações dogmáticas e as crenças materialistas não têm qualquer lugar na apresentação da VERDADE como revelação de fatos.

    Em todos os tempos houveram sábios – mentes inspiradas e iluminadas, que deram sua vida à busca da VERDADE e à expansão da Luz. Já no alvorecer da civilização no Egito, e ao estabelecimento de todo novo reino do homem, esses avatares da verdade, esses portadores do archote de Luz, sem finalidades egoístas e com sacrifício pessoal, saíram pelo mundo a redimir o homem de nenhum outro falso deus, de nenhuma outra queda e de nenhuma outra servidão que a ignorância e superstição.

    A sabedoria desses sábios, acumulada no transcurso dos séculos, através de períodos sempre cambiantes da evolução do homem, foi aumentada, aperfeiçoada e preservada, e tornada simples para a compreensão de todos aqueles que chegassem aos portais do Templo de Luz para sentarem-se à mesa dos sábios da vida.