Urban Sketchers Curitiba

100

Desenhos dos integrantes do Urban Sketchers Curitiba retratam o Bosque Rosacruz

Arquitetura egípcia chamou atenção e foi representada em lindas imagens

A arte de desenhar depende da capacidade de olhar e se deslumbrar. Seja nos traços em preto e branco ou na mistura de diversas cores, cada imagem é única e peculiar. Hoje em dia existem grupos que transformam suas horas vagas com a arte do desenho. Um deles é o Urban Sketchers Curitiba, que na essência de cada ilustração apresenta o cenário da ambiência urbana curitibana.

O Urban Sketchers Curitiba existe desde junho de 2015 e cerca de 30 representantes do grupo estiveram, no dia 16 de janeiro deste ano, nas dependências do Bosque Rosacruz para desenhar os prédios que representam a arquitetura egípcia na cidade. De acordo com um dos coordenadores, o designer, ilustrador e sketcher Fabiano Vianna, a Ordem Rosacruz faz parte da memória afetiva e mística de todos os curitibanos: “É um prédio muito bonito, repleto de signos e símbolos muito instigantes para serem desenhados”, explica Fabiano.

E o resultado foi encantador: belos desenhos com diversos pontos de vista. “Alguns desenharam nos jardins, outros nas ruas em frente aos prédios. Todos os símbolos e representações egípcias foram iluminados pelos traços dos sketchers”, conta Fabiano, que retratou em seu desenho, por meio do nanquim e da aquarela, o prédio administrativo da instituição, que traz duas grandes figuras egípcias em pé ao lado da porta principal.

Para ele foi muito gratificante registrar este prédio. “Costumamos voltar a lugares tão inspiradores e desenhar mais vezes. E o incrível é que em toda visita os desenhos mudam, pois novas abordagens surgem sempre. Cresci vendo e ouvindo histórias sobre a Ordem Rosacruz. Minha avó fazia parte da Ordem e recebia informativos. De certo modo, a Ordem Rosacruz já estava na minha memória”. Fabiano ainda nos contou que quando era criança passava em frente ao prédio e ficava admirando as figuras dos gigantes nas portas e imaginando os segredos internos, a história da múmia.

De fato, os desenhos são lindos e contemplam cada detalhe do local. “Todos os desenhos organizam-se numa fila dentro de nós. Para os bons saírem, os ruins precisam sair antes. Portanto, é preciso permitir-se errar para em algum momento acertar”, finaliza Fabiano.

 

Sobre o Urban Sketchers

Depois de observar um número cada vez maior de pessoas compartilhando seus desenhos de locação (feitos ao ar livre) na web, Gabriel Campanario, jornalista espanhol residente nos Estados Unidos, criou em 2008 o blog http://www.urbansketchers.org/ para reunir entusiastas desse tipo de atividade artística.

Desde então esse grupo vem crescendo e reúne dezenas de milhares de desenhistas do cotidiano na internet e em seus encontros regionais e internacionais.

O Urban Sketchers é uma comunidade de correspondentes reunindo pessoas do mundo todo interessadas em produzir e compartilhar seus desenhos de locação. Essa comunidade global inclui pintores, arquitetos, jornalistas, publicitários, ilustradores, designers e educadores, que publicam mais que apenas desenhos na web, compartilhando também a narrativa e as circunstâncias em que esses desenhos foram feitos.

Urban Sketchers no Brasil

Em 2011, o Urban Sketchers ganhou uma versão nacional oficial. Desde então, esse grupo vem crescendo e reunindo desenhistas em diversas cidades brasileiras como São Paulo, Salvador, Rio de Janeiro, São Luís, Goiânia, Natal, Fortaleza, Brasília, Vitória, Belo Horizonte e Recife. A versão curitibana do movimento surgiu em 2015, unindo desenhistas de rua que capturam imagens da arquitetura e paisagens da cidade na forma de sketches (ou croquis).